quarta-feira, 24 de outubro de 2007

De Volta à Torre Sem Forma

O odor acre do chá verde e do pó sobre os pergaminhos seculares misturou-se ao perfume doce de cerejeira, invadindo as narinas da jovem e desnorteando-a por alguns instantes. A aprendiz apertou um pouco os olhos sob a venda, enquanto as linhas que a guiavam para os tambores misturavam-se e bipartiam-se em diversas outras, confundindo-a. Ela estacou por alguns instantes, abanando a cabeça para compreender onde errara. Talvez a pronúncia errada do nome de algum Querubim. Cada vez mais traços surgiam onde as conchas eram arremessadas, e a garota precisava descobrir rapidamente qual era o traçado inicial correto. Arriscou um deles e tocou, indecisa, o tambor, não muito segura de que fizera a melhor escolha, retornando em seguida para o centro. Alguns segundos se passaram até que a jovem se considerasse correta, pois Hidan não havia questionado sua opção. Ela preparava-se para seguir até o próximo tambor, quando sentiu a lâmina fria da katana em seu pescoço, acompanhada de um abraçado ousado, finalizado em uma carícia em sua cintura. O mago inspirou lenta e profundamente, inebriando-se com o perfume de sândalo que exalava do corpo da jovem, ainda mais forte em função do calor dos movimentos constantes.

- Reinicie a seqüência – ele sussurrou sedutoramente - Errastes.

- Sim, mestre – ela suspirou conformada com a ordem dada, mas profundamente irritada por ter falhado.

A aprendiz sentiu que o mago se afastara, e assim que ela compreendera a ordem, recomeçou aquela seqüência. Desta vez as conchas voaram rápidas, sem nenhum padrão como anteriormente, fazendo-a praticamente deslizar de um lado a outro da sala para tocar os tambores quase simultaneamente. Ela retomou a concentração inicial, murmurando preces e buscando a força de seu anjo protetor. Ele respondeu, e uma vez mais seus movimentos eram fluidos e graciosos, até ela obrigar-se a desviar de uma linha diferente das outras. O traçado firme e de uma coloração vermelho sangue contrastava muito com a tênue fumaça esbranquiçada que seguia o curso das conchas, e a jovem sentiu não apenas a movimentação do ar, mas também o leve corte em seu rosto, no momento em que a pequena lâmina cruzou a sua frente. Uma gota de suor frio escorreu da sua testa até a venda e a preocupação a fez sentir a sala toda no mesmo instante, agora que compreendera que seu mestre não a colocara somente em um teste de habilidades, mas em uma corrida por sua própria sobrevivência. A quinta concha daquela seqüência atingiu o alvo e a aprendiz já desviara a décima lâmina em seu caminho.

Nenhum comentário: